Brasil promove projeto de refeições escolares no Haiti

O projeto Nippes, um programa de alimentação escolar, aliado às compras locais de alimentos, é uma iniciativa financiada pela cooperação humanitária brasileira que está sendo implementado no município de Petite Rivière de Nippes, departamento de Nippes, Haiti, desde outubro de 2015. Sendo executado pelo Programa Mundial de Alimentos (PMA), Ministério da Educação e Ministério da Agricultura, tem como parceiros locais as organizações Reseau des Producteurs Agricoles de Nippes (ROPANIP) e Bureau de Nutrition et Développement (BND).

Enquanto projeto piloto, pretende trazer, para os programas de assistência alimentar no Haiti, uma nova abordagem ligada à aquisição dos produtos, promovendo as compras locais dos alimentos. Através de uma abordagem multi-setorial, procura promover a ligação entre a produção agrícola local e as compras institucionais para os programas de assistência alimentar.

A iniciativa visa o estabelecimento de um sistema sustentável para a aquisição local dos alimentos e pretende avaliar sua validade operacional durante, pelo menos, dois anos. Pretende assim, em uma pequena escala, testar um sistema que vai: 1) Promover a ligação entre a produção agrícola local para utilização nos programas de alimentação escolar, através da relação direta entre as escolas e os agricultores; 2) O apoio à produção; e 3) Através do envolvimento direto das comunidades locais, incentivar a participação social e o acompanhamento mais próximo da forma como são gastos os recursos disponibilizados para a própria comunidade.

Com o objetivo de apoiar os planos do Governo haitiano nesta área, um método de compras descentralizadas será desenvolvido e testado neste projeto. Os resultados irão permitir que todas as partes envolvidas tenham uma melhor compreensão dos desafios e das ações estratégicas que precisam ser postas em prática para garantir a implementação sustentável e à longo prazo de iniciativas similares.

As ações previstas, de apoio aos produtores, têm como objetivo aumentar a produção agrícola local para garantir que seja suficiente em termos de quantidade, ao mesmo tempo em que a qualidade dos alimentos é garantida, de modo a satisfazer as necessidades dos programas de alimentação escolar. Pretende-se ainda fortalecer e legalizar as organizações locais de agricultores familiares com o objetivo de lhes permitir, no futuro, participar de modo autônomo em concursos/editais públicos de vendas de alimentos.

Em termos de objetivos numéricos, espera-se que as ações desenvolvidas permitam que, por pelo menos dois anos letivos, cerca de 3.500 crianças em idade escolar tenham acesso a refeições escolares nutricionalmente equilibradas, de forma regular, e confeccionadas com produtos adquiridos localmente. Ao mesmo tempo, pretende-se que cerca de 1.500 produtores familiares, membros de organizações locais de agricultores, ampliem o seu excedente agrícola através do aumento da produtividade, reduzam as perdas, e aumentem o seu rendimento fruto das vendas para projetos de alimentação escolar e outras oportunidades comerciais.

O programa inclui também uma forte componente de monitoramento e avaliação que permitirá ao PMA e ao Governo do Haiti fazer um balanço das atividades realizadas e promover alterações ou adaptações, se necessário.

Espera-se assim que as lições aprendidas com este projeto contribuam para o melhor desenvolvimento do "Programa Nacional de Alimentação Escolar", pelo Ministério da Educação, e para a concretização da meta existente de que a alimentação escolar seja implementada a nível nacional, até 2030.

É importante referir que a maioria das crianças no Haiti, entre 5 a 14 anos de idade (estimadas num total de 2.4 milhões), vivem em estado de pobreza e têm a merenda escolar como sua principal fonte de alimentos.

Veja aqui algumas fotos do projeto.

Notícias relacionadas: Do campo para as cantinas: Brasil apoia programas de alimentação escolar no Haiti

Share